A expectativa, com relação ao sexo, é possível que frustrá-lo

Você cria toda aquela expectativa. Imagina que vai ser assim e assado. Planeja todos os passos na memória e, inclusive, lembra deles como se já estivessem acontecendo. Há toda uma vontade investida e toda uma precisão em cada toque que lhes será oferecido. Há o encontro e o momento é esse, é agora. Vocês seguem para o lugar planejado. Chegou a hora H e naquele turbilhão de desejos: o nervoso. Com tanta respiração e querer seguir o imaginado, eis que nada parece dar certo. De repente, o tesão e o nervosismo contribuem para que haja a ejaculação de imediato. Mais que de repente, ele resolve descer um pouco e se demora para subir. Já ela, livre de expectativas, apenas seguiu seus instintos. Nunca saberia o que daria aquele foda que tanto queria, não sabia de nada (acreditava até que nem ia rolar), só queria poder se dar e curtir o momento. No contraponto, você sonha com aquele momento e, então, planeja a lingerie que irá vestir e deixa o cabelo divo com aquele batom vermelho da cor “Deixa eu te beijar”. Na hora, depara-se com o fogo dele e um lugar inóspito. É verdade, o lugar não estava certo em seus planos. Despe-se rapidamente conforme a fome dele, a dela estava um pouco restrita porque pensava em muita coisa que não havia dado certo. De repente, ele a chupa, lambe e penetra. Ela sente tudo silenciosamente e a cada chupada, lambida e penetrada – sem contar os dedos – sentia prazer em tudo, mas não conseguia externalizar. Respirava fundo e quando tudo acabou, queria mais, só que sem mais planos e em outros lugares. Já ele, percebera o nervoso em que ela se encontrava, mas permanecia com uma fome de leão e um despudor imensurável. Criar expectativas para transar não é uma boa pedida. Quem pensa demais em algo, na hora não consegue fazer exatamente como pensou e isso acaba resultando em frustração. Frustrar-se no sexo é o “ó do ó” porque a foda exige leveza, liberdade, entrega e nada de cara baixa e da tal expressão “eu pensei que seria assim” ou “eu queria que fosse assim”. Nada é mais presente do que o sexo, em outras palavras, nada é mais próprio ao momento. Portanto, quando for sair com alguém, só pense: “Vou assim e vou dar. Vou levar isso e aquilo e vou foder. Pronto”. O processo é ditado pelo instante da sua realização. Sexo é gostoso demais para ficar presa em planos para, na sua realização, dar B.O, não é? Se você também já criou expectativas e depois deu errado, conta pra gente. Se contigo houve essas mesmas expectativas e na hora foi ainda melhor, conta também. A gente ama ouvir, falar e se deliciar com tudo que envolve sexo, transa, foda ou trepada – você que escolhe como pretende falar – porque, pra gente, é tudo gostoso! Por Lu Rosário

Projeto colaborativo Léxico de Gêneros propõe discussão sobre heterogeneidade

Na contramão de um cenário de discussões polêmicas e categorizadas que vivemos hoje no Brasil, o AfroReggae, a partir do Projeto Além do Arco-Íris, que desde 2013 trabalha para trazer protagonismo às pessoas trans, chega com uma opção que abre diálogo para uma pauta muito abordada, mas ainda com pouca força na nossa sociedade: a identidade de gênero. Num formato colaborativo (similar ao que acontece no Wikipedia), o ‘Dicionário de Gêneros’ propõe a livre manifestação das pessoas. O objetivo é reunir todas essas interpretações e, a partir delas, criar novos verbetes que representem a diversidade também na língua portuguesa. Com o conceito ‘Só Quem Sente Pode Definir’, o endereço http://dicionariodegeneros.com.br conta com espaço didático que explica a diferença entre ‘orientação sexual’, ‘sexo’ ou ‘identidade de gênero’; permite que qualquer pessoa crie a definição sobre o gênero com que se identifica, e compartilhe com os amigos via redes sociais. Todos os textos também se atentam para a utilização da letra “e” como marcador de gênero das palavras, para ‘combater’ a binariedade da língua portuguesa, que reconhece apenas o masculino e o feminino, e estimula a utilização da #SomosTodosGente para identificar as ações de inclusão sobre o tema. Para lançar a plataforma, dezenas de pessoas foram consultadas sobre as características que definem cada um dos mais de 60 gêneros identificados pelas pesquisas da equipe envolvida no projeto. Em seguida, representantes de diversos gêneros foram convidados a participar de um vídeo depoimento com as interpretações de cada um sobre a própria identidade. Grandes nomes como a cartunista Laerte; o psicólogo e escritor João Nery; a artista plástica Joana Couto; o ator, produtor e bailarino Lucas Rangel; entre outros que lutam pela causa participam do projeto. A iniciativa está inserida dentro de uma sequência maior de ações do AfroReggae. Para Laura Mendes, agente de projetos do Arco-Íris, ”O dicionário ajuda a combater a falta de conhecimento das pessoas. A sociedade, principalmente aqui no Brasil, ainda tem muito preconceito com quem é diferente. Quando conceituamos algo errado estamos abrindo as portas para isso”. “O mundo já começou a se questionar sobre a binariedade de gêneros. O próprio Facebook já permite que o usuário crie sua própria identidade. Muitas iniciativas ainda precisam ser tomadas para começar a mudar esse cenário. O Dicionário de Gêneros é apenas mais um passo para trazer essa discussão à tona. Por isso, a importância da construção desses verbetes serem feitos pelas pessoas: só elas podem definir como realmente se sentem. Quem sabe, com todo esse movimento, podemos começar a escrever um futuro onde ninguém mais precisará de definição para ser entendido, respeitado”, acrescenta Bárbara Bono, Head Digital. Conheça o vídeo do projeto aqui. Por Mood

Parafilias – transtornos sexuais para todos e cada um dos gostos

Mais do que esquisito, descobrir o “mundo das parafilias” é uma experiência surpreendente e, na maior parte das vezes, grotesca. O significado dessa palavra abre espaço para muitos conceitos e interpretações mas, basicamente, parafilia diz respeito a transtornos sexuais, perversões, anseios, fantasias, comportamentos sexuais intensos e variantes do erotismo. Em outras palavras, são meios pelos quais algumas pessoas têm que passar para que consigam ficar excitadas e/ou chegarem ao orgasmo. As noções de desvio e desempenho sexual variam entre as diferentes culturas, por isso, algumas vezes, parafilia pode querer dizer “disfunção sexual”. No entanto, isso só acontece quando a atitude parafílica causa dano a alguém, sendo excessiva ou inadequada. O importante é perceber a relação entre o sujeito parafílico e seus estímulos, saber avaliar se essa pessoa é capaz de ter relações sexuais sem tais estímulos e fantasias, determinando seu grau de dependência. Bate que eu gosto Na maior parte das vezes, a parafilia acontece com os homens. Uma das explicações é que o homem é criado sob um grau de exigência mais rígido, não podendo colocar sua identidade sob suspeita, além de ter sempre que tomar decisões importantes. Isso acabaria gerando um espaço para que a parafilia surgisse, ficando no lugar do subterfúgio. Listamos abaixo as principais parafilias, tentando juntar as que mais se parecem em “sub-grupos”. Entretanto essa não é uma classificação médica ou psicológica, mas sim uma forma de visualizar como algumas preferências sexuais podem ser algo motivante, no bom sentido, e como podem ser fruto de uma perversão, principalmente quando se torna a principal atividade sexual na vida de alguém. Confira algumas parafilias: Parafilias | SER O OUTRO Travestismo: são pessoas que só conseguem ter prazer se tratados como o sexo oposto. Na maioria das vezes, homens que se vestem como mulheres. Observação: não são homossexuais. Andromimetofilia: o homem que sofre de andromimetofilia prefere transar com mulheres que representem e se relacionem sexualmente como se fossem homens. Ginemimetofilia: parecido com a andromimetofilia. Mas nesse caso, a preferência é por homens que se relacionem eroticamente como mulheres. Autonepiofilia: a pessoa se excita ao fingir que é um bebê de fraldas e seu parceiro precisa trata-la como tal. Já quando a pessoa finge que é uma criança, o caso é de infatilismo parafílico, e quando é uma adolescente, estamos falando de juvenilismo parafílico. Parafilias | IMAGENS Voyeurismo: são pessoas que gostam de observar pessoas nuas ou tendo relações sexuais, sem o consentimento destes. É um risco, e é isso que provoca a excitação no voyeuristas. Enquanto assistem, eles se masturbam. Agalmatofilia: nesse caso, a excitação não é com pessoas, mas com a observação de uma estátua ou modelo representativo de pessoa nua. Quando acontece da pessoa não apenas observar, mas também usar a estátua, chamamos de pigmalionismo. Pictofilia: excitação obtida através da visualização de fotografias, imagens ou vídeos de atividades pornográficas ou obscenas, na presença do parceiro. Parafilias | O OUTRO Exibicionista: Sabe aqueles homens nojentos que às vezes, seja na praia ou em um canto da rua, mostram seus órgãos genitais e começam a se masturbar? Pois é, esse é o chamado exibicionista, e geralmente são homens tímidos que têm medo de contato sexual e, para sentir prazer, precisam chocar mulheres desconhecidas. Algumas vezes, essas pessoas têm a fantasia de que o observador ficará sexualmente excitado, o que só aumenta sua própria excitação. Biastofilia: o indivíduo se excita quando, ao atacar uma pessoa desconhecida, esta aparenta estar aterrorizada. Frotteurismo: pessoas que tocam e se esfregam em uma pessoa sem seu consentimento, geralmente em locais de grande movimento. Ele esfrega seus genitais contra as coxas e nádegas ou acaricia com as mãos a genitália ou os seios da pessoa, fantasiando um relacionamento exclusivo e/ou carinhos com essa. Es

Direitos Sexuais

A Declaração dos Direitos Sexuais foi redigida, inicialmente, durante o XIII Congresso Mundial de Sexologia que ocorreu em Valência (Espanha) em 1997; e aprovada em assembléia geral da WAS (Associação Mundial para a Saúde Sexual), ocorrida no congresso seguinte em Hong Kong (China); em 26 de agosto de 1999. Suas diretrizes são simples, claras e respeitam os direitos humanos universais. Veja sua importancia: Sexualidade é uma parte integral da personalidade de todo ser humano. O desenvolvimento total depende da satisfação de necessidades humanas básicas, como desejo de contato, intimidade, expressão emocional, prazer, carinho, amor. Sexualidade é construída através da interação entre os indivíduos e as estruturas sociais. O total desenvolvimento da sexualidade é essencial para o desenvolvimento individual, interpessoal e social. Os direitos sexuais são direitos humanos universais baseados na liberdade inerente, dignidade e igualdade para todos os seres humanos. Saúde sexual é um direito fundamental, então saúde sexual deve ser um direito humano básico. Para assegurarmos que os seres humanos e a sociedade desenvolvam uma sexualidade saudável, os seguintes direitos sexuais devem ser reconhecidos, promovidos, respeitados, defendidos por todas as sociedades de todas as maneiras. Saúde sexual é o resultado de um ambiente que reconhece, respeita e exercita estes direitos sexuais. Os direitos sexuais são direitos humanos fundamentais e universais! Conheça abaixo: O direito à liberdade sexual A liberdade sexual diz respeito a possibilidade dos indivíduos em expressar seu potencial sexual. No entanto, aqui se excluem todas as formas de coerção , exploração e abuso em qualquer época ou situação da vida. O direito à autonomia sexual integridade sexual e à segurança do corpo sexual Este direito envolve habilidade de uma pessoa em tomar decisões autônomas sobre a própria vida sexual num contexto de ética pessoal e social. Também inclui o controle e o prazer de nossos corpos livres de tortura, mutilações e violência de qualquer tipo. O direito à privacidade sexual O direito de decisão individual e aos comportamentos sobre intimidade desde que não interfiram nos direitos sexuais dos outros. O direito à igualdade sexual Liberdade de todas as formas de discriminação, independentemente do sexo, gênero, orientação sexual, idade, raça, classe social, religião, deficiências mentais ou físicas. O direito ao prazer sexual Prazer sexual, incluindo auto-erotismo, é uma fonte de bem estar físico, psicológico, intelectual e espiritual. O direito à expressão sexual A expressão sexual é mais que um prazer erótico ou atos sexuais. Cada indivíduo tem o direito de expressar a sexualidade através da comunicação, toques, expressão emocional e amor. O direito à livre associação sexual Significa a possibilidade de casamento ou não, ao divórcio e ao estabelecimento de outros tipos de associações sexuais responsáveis. O direito às escolhas reprodutivas livres e responsáveis É o direito em decidir ter ou não filhos, o número e o tempo entre cada um, e o direito total aos métodos de regulação da fertilidade. O direito à informação baseada no conhecimento científico A informação sexual deve ser gerada através de um processo científico e ético e disseminado em formas apropriadas e a todos os níveis sociais. O direito à educação sexual compreensiva Este é um processo que dura a vida toda, desde o nascimento, e deveria envolver todas as instituições sociais. O direito à saúde sexual O cuidado com a saúde sexual deveria estar disponível para a prevenção e tratamento de todos os problemas sexuais, preocupações e desordens.

A gente não resta, a gente transa

A história é bem essa: você sai com o cara ou com a gata uma, duas, três, quatro vezes e transam. São pele, carne, sexo, selvagens. Depois de toda pornografia a lhes agregar valor, vocês conversam e se despedem com beijo no rosto como se nada tivesse acontecido. E assim a história se repete, ambos sabem que do outro existe amizade e um sincero orgasmo e que é com ele que se pode contar no momento de relaxar o corpo e sentir vontades de gozar, sem lances solitários. Afinal, a uma altura do campeonato – masturbação passa a ser falta de escolha ou preguiça por um parceiro. Agora que eu comecei a história, vamos ao título.

Quando eu digo que a gente não fica, mas apenas transa, eu me refiro ao fato de não fazermos algo apenas pelo carinho. Não faltam casais por aí que se encontram meramente pela troca de afetos, pela companhia, para ficar. Ficar neste sentido gostoso da coisa: de beijar, conversar, trocar carinhos e também transar (porque não?); diferente de você encontrar e dizer: Vamos? Ou então já começarem tirando a primeira peça e pronto: já está tudo feito. A transa “frequente” com alguém e sem outras configurações cai um pouco na definição de PA ou BA, os famosos Pau Amigo e Boceta Amiga nos videos de sexo.

É alguém de confiança que se pode contar para dar umas e estressar. Por quê de confiança? Porque você sabe que ele (ou ela) não irão sair por aí dizendo aos quatro cantos o que vocês fazem entre quatro paredes. Essas minhas definições não são fixas, é bom deixar isso claro! Claro que um ficante pode ser alguém que sempre transe contigo maravilhosamente. Ambos podem ser despretensiosos, apesar de que entendo o ficante como aquele que talvez cause vontades de namorar…enquanto aquele que está ali apenas para o sexo não – pois são estabelecidas apenas relações de corpo. Enquanto aquele com quem você fica é sabido pelos outros, aquele com quem você só transa, ninguém sabe. E outra: ninguém diz para o amigo (ou amiga) que transou com fulano, a gente diz que ficou – parece soar mais leve na sociedade em que vivemos. Eu fico indignada com a negação da sexualidade em que estamos inseridos, mas tudo bem, o importante é estarmos livres de moralismos e abertos sexualmente.

Mas sim, meus queridos: Você fica e transa (Ui!) ou só tem aquele PA ou BA mesmo (Uhlalá!)? Independente da sua resposta, aproveite bastante o outro e se deixe aproveitar. Nosso corpo e nossos desejos devem ser entregues e fazer parte dos nossos prazeres, sempre ou em videos porno

A fetichização da senhora lésbica

Vocês já perceberam que, normalmente, homem com homem é considerado feio e nojento enquanto mulher com mulher é compreendido com um ato bonito e mais livre às outras possibilidades? Pois é. As pessoas, homens ou mulheres, costumam aceitar mais facilmente a relação entre mulheres devido a sociedade machista em que estamos inseridos. Neste sentido, a mulher não parece ser vista efetivamente como lésbica e sua sexualidade torna-se fetiche, tendo que servir aos desejos masculinos ou de casais. O ménage à trois é um destes casos, pois todo homem sonha em transar com duas mulheres e vê-las interagir sexualmente. Estou mentindo? Então, a mulher lésbica é vista como aquela que também pode ficar com homens e que, portanto, ao ficar com os dois, pode servir de brinquedinho nas vontades alheias. Logo, a gente se depara com a invisibilidade, homofobia e machismo – tudo em um mesmo pacote. Quando duas mulheres se beijam, um homem olha, mostra a língua e segura no saco, mostrando que o convite está aberto ou que mais tarde vai bater uma para celebrar a beleza que se apontou diante dos olhos dele. A atrizes Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg formaram um casal lésbico e sabe o que eu ouvi? Que como é que “duas velhas se prestam a fazer um papel desses”, “são duas sem vergonhas”, “numa idade dessas”. Isso me fez pensar no quanto o ser lésbica está relacionado a juventude. É como se depois que envelhecessem, tivessem que se enquadrar no padrão heterossexual. Nesse contexto, as pessoas vêem a homossexualidade feminina como uma moda e isso deslegitima a mulher, tira-lhe a voz, inviabiliza a sua sexualidade. Quando colocaram-me o assédio dos homens às mulheres na X-cania com pedidos de beijo triplo, você vai justamente ao encontro de tudo o que eu disse acima. Inclusive, na festa haviam muitos curiosos que provavelmente acreditam na máxima de que ser lésbica é moda e, por isso, ele entende que pode se apropriar de tais espaços. E apropriando-se, o seu pensamento machista persiste em prevalecer ultrapassando limites alheios em invasões de privacidade e desrespeito à sexualidade da mulher – que, naquele espaço, ela crê ser libertador já que sofre tantos preconceitos cotidianamente. Espero ter esclarecido aos senhoritos e senhoritas sobre o fato de uma mulher sentir atração por outra não é moda, não é um ato para provocar o homem e não é nada do que você pense que não seja uma opção sexual. Assim como as relações heterossexuais são respeitadas, as homossexuais encontram-se no mesmo patamar. Portanto, aprendamos a ter o hábito de não enquadrarmos ninguém em nossa cultura machista e sejamos melhores conosco e com os outros. Por Lu Rosário

Chega mas : curso de lascívia!

Você sabe o que é resiliência sexual? Para entender um pouquinho, faça uma experiência. Pegue uma folha de papel, amasse em forma de uma bolinha e jogue-a na mesa. Quanto ela volta ao normal? Pouco, não é? A resiliência é um termo emprestado da engenharia e da física. Nessas áreas, ela é definida como a capacidade de um corpo físico superar uma pressão, voltando ao seu estado original sem ser alterado. No nosso dia-a-dia, a palavra é definida como a capacidade que as pessoas têm de, diante de uma situação adversa, de um trauma, se recuperar e dar a volta por cima. Quanto mais resiliência, mais rápido a pessoa se recupera as bucetas gostosas.

Dentro da perspectiva de uma vida sexual, isso faz parte do amadurecimento. As pessoas com baixa resiliência não evoluem sexualmente ou, no máximo, evoluem bem mais lentamente do que as outras. Elas são mais confusas, não se concentram na atividade sexual, têm dificuldade com a própria realidade e buscam transferir a culpa pelo seu estado para outras pessoas.

Já o oposto, pessoas com alta resiliência são as que enfrentam melhor os problemas. São criativas, inovadoras e quando têm algum problema na vida sexual conseguem dar a dimensão devida, sem exageros, procurando dentro do seu repertório a busca da solução ou mesmo ajuda especializada fotos de mulheres peladas.

Estamos falando sobre resiliência porque é importante que as pessoas tomem as rédeas de sua vida sexual e afetiva, não transferindo os problemas e, principalmente, buscando soluções que as levem novamente para a normalidade. Para o sucesso na vida sexual, é essencial que a pessoa aja como protagonista. Todo mundo tem problemas. Em alguns momentos da vida, eles são mais graves e em outros, menos. Porém, são fases a que todos estão sujeitos. E a vida é assim mesmo, de altos e baixos. Não há linearidade. E cada um é responsável pela própria vida sexual. Falando numa linguagem mais popular, é preciso ter jogo de cintura. Quando cair, é preciso levantar. Quando a pessoa se levanta, ela aprende a ser um pouco melhor. Aprender a cair é ser uma pessoa melhor.

Bate papo de sexo com casais

Língua também serve para conversar, não só pra trocar fluidos – embora esta seja uma de suas melhores funções. Você taí se gabando de praticar o melhor sexo vocal do planeta, porém não consegue manifestar ao outro que tipos de posições curte? Ou como adoraria de ser tocada? Ou que finge porque já se acostumou a não chegar lá? Confira cá as dúvidas mas comuns e também a sugestão de como saná-las.

– Em relação à vida sexual, do que os casais mas reclamam no seu consultório?

Em por norma geral, os homens sentem que as parceiras se acomodaram após um tempo, gostariam que elas fossem mas ousadas e também tivessem disposição de estrear os videos  sexo. Ah, eles reclamam também da quantidade – ambicionam transar mas em lar. As mulheres dizem que acontece constantemente do mesmo jeito e também no mesmo cenário. Elas cobram mas preliminares e também originalidade dos companheiros.

– E também eles conversam entre si sobre essas questões?

As mulheres têm de comentar ou implorar coisas ligadas ao sexo. É uma pena, porém alguma coisa científico. A revolução sexual é hodierno, varias não receberam ensino nesse sentido nem aprenderam a legitimar a própria autonomia. Os casais procuram a terapia porque a notícia entre eles não está fluida. Isto é, eles não estão satisfeitos, porém não conseguem se distinguir e também procurar caminhos para trespassar disso. Não resolvem seus conflitos de modo saudável, atrás de soluções.

– Tenho amigas que não dividem com o namorado ou marido suas fantasias e também preferências sexuais. Têm vergonha de solicitar para irem ao motel ou usarem um brinquedinho erótico. Conversar sobre isso com o outro não é essencial?

Faz toda a diferença na qualidade da vida sexual e também, por consequência, do parelha como um todo. É preciso falar para este como você gosta de ser tocada, se teve ou não orgasmo… Uma coisa é você se masturbar e também vestir os recursos que gosta, outra é mostrar isso ao parceiro. Qualquer um possui um corpo e também uma força sexual. O outro não possui como deslindar se você não conversar de alguma forma, não negociar o seu libido e também o seu prazer.

Possui a ver com aquela reclamação deles de que elas não tomam atitude nem insinuam enquanto estão a termo de sexo.
Sim. O varão não deve fazer tudo sozinho, até conjecturar o que está na sua carola. Não possui mas “papel do varão ” e também “papel da senhora ”. Surpreenda, fracção para passar a noite fora, comente uma cena excitante de um filme, pergunte o que este acha de testarem juntos um inferior interessante que você viu numa loja do xvideo brasil. Agora, se você possui um varão extremamente machista… muda de varão!

– As tímidas vão expor que não conseguem.

Durante o sexo, existem jeitos sutis de mostrar do que você gosta. Enquanto este estiver tocando um mancha excitante para você, reforce o conduta. É possível que ser com um “ai, que delícia” ou mesmo gemendo. Eles ADORAM gemidos. Dê ao seu parceiro esse ser capaz de descobrir que este está fazendo correto.
– Ok, porém e também se este não estiver fazendo correto? Você vai lá, como, o face se ofende ou magoa…

Portanto, pequeno número de pessoas têm mesmo obstáculos em aceitar críticas e também ouvir do parceiro que este não está feliz. Encaram como uma frustração pessoal e também se sentem atacadas. Porém, no sexo, o que funciona para uns é possível que não funcionar para outros. Não adianta botar o dedo na faceta e também expor com agressividade. Converse com firmeza e também tranquilidade sobre as suas preferências.
– Como posso comensurar a minha satisfação sexual no relacionamento?
O forçoso é a qualidade do seu prazer. A presença (quantas vezes por mês ) depende bastante do instante para toda a vida do parelha. Vocês podem estar numa período atribulada e também transando unicamente uma vez por mês. Porém a transa é ótima, reforça a intimidade e também revigora o relacionamento. Tanto que até gostariam de ter mas, porém entendem que agora não dá e também tudo muito. Compreende a diferença? Também percebo que se sentir desejado é bastante essencial para sustentar o próprio libido. Se o parceiro se esforça para deleitar, elogia, arruma tempo na agenda etc.

– Quais os momentos principalmente críticos para o par?

A pior, com probabilidade, é depois do promanação de um bebê. Aumentam os níveis do hormônio prolactina na senhora e também ela estaca com insignificante libido sexual mesmo. Porém há fases complicadas como obstáculos financeiros e também familiares, depressão, elevado investimento no profissional…

– A clínico Esther Perel acredita que a intimidade atrapalha o libido sexual. Quanto mas perto você está do outro, menor o tesão por este. Não é um paradoxo?

Concordo com ela. Por abundantes motivos: você se habitua ao outro, este está incessantemente desimpedido, outras coisas vão preenchendo a vida do parelha, como os filhos…. E também o libido sexual precisa de originalidade e também espaço para florescer. Nossa mansão não é um lugar criativo das safadas, porém de compromisso familiar. Tombar nessa emboscada é uma tendência, desse modo o par deve cevar o erotismo – ou terão qualquer vez menos sexo até desistir de se procurarem. É um preconceito descobrir que o sexo deva sobrevir incessantemente de modo tão espontânea. Precisa reservar espaço porque este aconteça e também isso não significa que este será “ sintético ”.

Sobre o fio terra quem gosta mais?

O preconceito sempre existe, mas como a técnica do fio terreno, por fim, o prazer do ato é imenso e também faz nenhum gênero de um filosofar um par de vezes de antemão de recusar! Seja você secção de um parelha gay ou hétero, cá não possui dessas, todo planeta vai aprender a fazer um bom fio terra na buceta😉

Quem sabe estas dicas você não muda de opinião? A lascar de agora será milénio vezes mas simples entregar aquela cutucada gostosa nele( a ) durante as preliminares, rs.

Solicitou pra aparar, aparô!

Zero de assentir uma unha gigantesca, ok? Isso com probabilidade vai ocasionar dor ao parceiro ou parceira. Deixe elas muito aparadinhas pra não ter obstáculo, desta forma todo planeta consegue curtir o instante! 😉
Como fazer  o esquente?
Óbvio que absolutamente ninguém vai chegar enfiando o dedo no ânus da outra população, não é que o ato inicia. É preciso uma preparatório da prévio, rs. Aprecie as espinhaço do( a ) parceiro( a ) com beijos, vá descendo, faça carinho… estaca a sua escolha e os peitos!
Combo supremo na buceta
O ósculo helênico é o colega do fio terreno. Os dois estimulam o prazer através do ânus, e também se você gosta de um, provavelmente vai amar o outro também! Cá você conhece as dicas pra fazer um ósculo heleno expert. Que tal? De forma dá pra reunir os 2 e também pronto, o ato estaca ainda mas potente e também gostoso!
Deslizando
O uso de um lubrificante na hora do fio terreno é forçoso, de forma o deslize acontece mas naturalmente. A melhor opção é vestir um à apoio de chuva. E também zero de lotar o dedo, é somente algo pra assentir o ato mas prazeroso!

Site Pornô

Como açodar o 2º round

Sabe aquele sexo tão bom que mesmo depois dos dois chegarem lá, ambos querem mais? Então os dois podem até querer, mas se o amigão estiver cansado, não vai rolar. Não é porque já gozaram que o assunto sexo tem que mudar, ficarem deitados juntos falando sobre a transa que acabou de acontecer e relembrando e comentando os melhores momentos ativa a lembrança de prazer e faz a excitação aparecer novamente no xvideo.
Troca de carícias pelo corpo todo não pode parar, não precisa ser mão naquilo e aquilo na mão, mas acariciar o corpo da parceira também ajuda a estimular.

Os dois estão prontos de novo mas ele ainda não está em pé? Forçar a barra pode piorar, o sexo oral pode ajudar em alguns casos e em outros pode ser mortal, pois o homem pode ficar nervoso com medo de não corresponder a sua parceira e aí é mesmo que não vai. Isso também vale pra mulher que mesmo se dedicando no sexo oral e nas carícias não vê o pênis do parceiro responder, ela pode pensar que tem algo de errado nela ou com a performance dela. Em contra partida, enquanto o garotão não fica pronto, ele pode usar e abusar do sexo oral na parceira, isso vai estimular ela, e ao vê-la com tesão isso pode com certeza ajudar e muito o amigão a se levantar, sem contar que deixa ela bem lubrificada para uma penetração com o amigo ainda “meia bomba”.

Que tal trapacear? isso mesmo, sabemos que a irrigação dos vasos sanguíneos na região peniana é a grande responsável por deixar ele EM PÉ, então por que não usar um produto que vai fazer com que aumente a circulação sanguínea da região intensificando e acelerando a ereção?